#CartasParaStella 001

Gambe
4 min readFeb 14, 2023

Há uma semana eu escrevi sobre o meu burn-out e toda a toxicidade da relação em que eu estava vivendo ficou evidente para muitas mulheres.
Recebi muitas mensagens de apoio e vários depoimentos. Muitas pessoas sentiram vontade de compartilhar as histórias delas também.
Começa hoje a série: Cartas para Stella.
Se você tem uma história do seu relacionamento abusivo que queira compartilhar anonimamente, escreva um email para gambe.org@gmail.com e no assunto coloque: Cartas para Stella.

Obrigada pela confiança e por ajudar mais e mais mulheres a sentirem que não estão sós.

Photo by Prophsee Journals on Unsplash

Depois de muitos anos tomei coragem de compartilhar minha história, ler seu depoimento e saber de suas cicatrizes me fez ter coragem de compartilhar para ajudar outras mulheres como nós.

Nunca pensei que eu pudesse passar pelo que passei, a minha relação não durou muito, mas deixou muitas marcas e duraram um muito tempo e hoje estou curada.

Era uma estudante universitária longe da família, tinha acabado de sair de um namoro de curto tempo que me deixou algumas feridas, mas essa história te conto depois… Estava na formatura de uma das minhas melhores amigas, na mesa junto com sua família, aquela amiga que eu considerava Irmã, então sua família para mim era toda de pessoas confiáveis. Ela me apresentou seu primo que logo se interessou por mim, achei ele bonitinho e resolvi dar uma chance e ficamos na festa. Sua família toda parecia aprovar, isso me deu uma certa segurança e encarar outro relacionamento. Eu morava numa cidade do interior de Minas e ele na grande São Paulo, sabia que ia ser difícil, mas eu estava no último ano de faculdade e pretendia me mudar para lá onde tinha mais oportunidades.

Dei uma chance para esse relacionamento… Éramos muito diferentes, mesmo assim falei resolvi tentar.

Recebi um convite para viajar com ele, nunca tinha feito isso com ninguém, resolvi ir e lá reencontrei sua família que me tratou super bem, na primeira conversa a mãe dele me pergunta se queria ter filho, sem pensar falei JAMAIS (minha irmã acabava de ser mãe solteira de gêmeos abandonada pelo pai dos filhos). Sempre fui bem sincera e ingênua, não sabia que aquela resposta poderia influenciar o relacionamento, e influenciou… Ele me disse que não podia ter filhos e que a mãe dele estava me testando para saber se ia dar certo. Ela me aprovou na hora e fiquei encantada por estar sendo bem tratada. Tudo parecia lindo, ele me tratou muito bem e me respeitou naquela viagem.

Nos despedimos e ele prometeu me visitar… Mas não sabia que aquela visita ia me deixar tantas marcas.

Como morava numa cidade universitária as festas eram bem animadas e com muita bebida, ele era pagodeiro e eu não suportava pagode e principalmente homem bêbado falando besteiras. Ele bebeu demais e virou outra pessoa. Diria que se transformou num monstro, seu melhor adjetivo para mim foi CHATA. Ele não me bateu e nem parecia fazer aquilo, mas suas palavras foram piores que um tapa, nunca imaginei que uma mulher pudesse ouvir aquilo. Cada lagrima que caia do meu rosto tinha que escutar mais absurdos. Na minha cabeça eu pensava: Por que eu estou ouvindo isso? Ninguém nunca falou assim comigo, nunca deixei ninguém falar alto comigo. Não fui criada com esse tipo de tratamento.

Naquele momento lembrei muito da minha família, da união dos meus pais, sabia que não queria aquilo para mim. Ele ficou dormindo na sala e eu não dormi aquela noite com muito medo. Nunca senti tanto medo na vida, afinal tinha levado um monstro para casa.

O dia amanheceu e acordei cedo para ir trabalhar e ele não me ver. O medo era tanto que um colega percebeu e me chamou para conversar, eu só chorava.

Ele sem saber nada me disse, não sei o que fizeram com você, mas você não pode deixar isso acontecer novamente. Aquelas palavras foram muito importantes para mim, tomei coragem e liguei para uma amiga e contei tudo, ela na hora me deu apoio.

Eu cheguei em casa e só falei para ele ir embora e ele agiu como se eu fosse louca e que ele não fez nada demais. Tentou me colocar para baixo novamente, mas dessa vez falando somente que estava fazendo drama.

Estava firme e coloquei um fim naquele relacionamento que durou tão pouco, só não sabia que as marcas iam durar tanto tempo. Ele tentou me ligar, viajou outras vezes para me ver e eu não aceitei na minha vida e nem na minha casa.

Terminando meu curso mudei para são Paulo, estava namorando meu melhor amigo, que sabe de todas as histórias.

Um dia sai para procurar emprego, na época entregando currículos, fui até o Centro tecnológico do Itau, quando vi um cara de costas que parecia aquele monstro me deu desespero, sai correndo igual uma louca, chorava muito e as pessoas só olhavam para mim. Não queria parar, então ninguém pode me ajudar… Até hoje não sei se era ele, mas demorei para voltar naquela região e quando voltava sempre olhava para os lados para ver onde podia correr caso encontrasse com ele. Demorou anos e hoje posso dizer que ficou no passado, até hoje não acredito no que permitir acontecer comigo.

Meu melhor amigo virou meu marido, temos dois filhos e estamos juntos a mais de 22 anos, passamos por muita coisa juntos, ele sempre me dando força para crescer e me encoraja em tudo. Não tenho mais medo e espero que minha história possa ajudar alguém.

--

--

Gambe

Grupo de Apoio à Mulher Brasileira no Exterior